Publicidade

Capacidades Físicas dos Tenistas





Resultado de imagem para tenista

Um tenista deve ser bem preparado fisicamente e possuir uma técnica segura para evitar lesões. Sabe-se que um desequilíbrio muscular, uma má postura, mecânica incorreta de movimentos e limitações de amplitude de movimentos articulares podem levar a uma lesão.

Devemos sempre levar em conta o material adequado a ser usado pelo atleta,pois um tênis ou uma raquete não adequados e adaptados ao praticante de tênis pode agravar,ou até mesmo ocasionar lesões que refletirá em dor,limitação de movimentos cansaço físico tanto na preparação física quanto no treino técnico/tático. Como o tênis é um esporte de mais explosão, os músculos devem ser preparados através de contrações isocinéticas onde a tensão desenvolvida pelo músculo ao encurtar-se, é realizado com a máxima velocidade em todos os ângulos articulares. O tênis é uma atividade onde os exercícios gerais e dinâmicos são mais utilizados. Geral porque mantém em ação com realização de vários movimentos e de vários grupos musculares, e dinâmicos porque requer constantes deslocamentos e maior suporte de oxigênio.


CAPACIDADES FÍSICAS NO TÊNIS

1. RESISTÊNCIA- Capacidade para manter um esforço prolongado sem diminuição apreciável da performance.

1.2. RESISTÊNCIA AERÓBICA- Capacidade de resistir à fadiga nos esforços de longa duração e intensidade moderada. É um trabalho que se realiza com suficiente quantidade de oxigênio. Após alguns minutos de carga, estabelece-se um equilíbrio entre consumo e a liberação de energia (STEADY STATE), podendo o trabalho ser executado durante longo tempo. Apesar de um atleta de tênis usar predominantemente a resistência anaeróbica, deve-se trabalhar numa preparação física básica,a resistência aeróbica para uma melhora cardiorrespiratória, enfim,um jogo tem uma duração longa.

1.3. RESISTÊNCIA ANAERÓBICA- Capacidade de realizar um trabalho de intensidade máxima ou submáxima, com insuficiente quantidade de oxigênio durante um período de tempo curto. Ocorre grande débito de oxigênio e com isso há formação de grande quantidade de ácido láctico. A resistência anaeróbica é de uso predominante no esporte de tênis, pois são jogadas e golpes com grande intensidade,e executadas de forma rápida,incluindo o deslocamento lateral e ântero-posterior do atleta que deve ser feito de forma explosiva (arranque). Faz parte da preparação física específica, junto com o treino de agilidade e velocidade. O preparo consiste na repetição de distâncias curtas com relativa ou grande velocidade, intercaladas com pausas de recuperação. Na pausa está o estímulo para a hipertrofia do coração, por isso deve-se fazer muitas pausas vantajosas,não podem ser longas,não superiores a 90 segundos.

2. COORDENAÇÃO- É uma complexa característica de rendimento que está subordinada ao Sistema Nervoso Central, tendo os músculos como órgãos executantes. De um modo geral,falamos que um movimento é coordenado quando a meta for alcançada com maior economia possível e com uma leveza subjetiva. Isso quer dizer que os movimentos são "soltos", racionais, livres e com estilo.

2.1 COORDENAÇÃO FINA- É a forma fina de um movimento.Este é executado de forma econômica e contém uma leveza subjetiva,embora permita melhoras.Por exemplo: quando um atleta bem treinado domina uma técnica.

2.2 COORDENAÇÃO FINÍSSIMA- Esta é a execução ótima,muito precisa,altamente econômica e bem dominada.Vemos isso em atletas de categoria mundial bem treinados. Um aperfeiçoamento da coordenação é alcançado através do exercício da seqüência do movimento. Como resultado apresenta-se uma economia no dispêndio energético para um determinado desempenho e conseqüentemente um decréscimo da demanda de oxigênio e do grau de fadiga. Simultaneamente o melhor rendimento do movimento reduz o perigo de lesões. Muito disto se deve ao fato de que um movimento coordenado permite que este seja mais perfeito, fazendo com que não sobrecarregue os músculos e adéqüe o sinergismo do movimento. Assim, não colaboram músculos indevidos ao movimento desejado, direcionando o vetor da contração e poupando energia. Pela perfeita cinética do movimento é atribuída uma diminuição do atrito articular. A meta final do aperfeiçoamento de coordenação ambicionado deverá ser o aprimoramento do estereótipo dinâmico-motor em um nível de desempenho. Quando realizamos atividades que exijam elevado grau de solicitação do Sistema Nervoso Central, temos os conceitos de habilidade e destreza. Assim, tanto a habilidade como a destreza são graus exponenciais da coordenação.

3.DESTREZA E HABILIDADE MOTORA- Na sua complexidade, estas características produzem um alto grau de coordenação, uma vez que encontramos fatores neurofisiológicos e sensoriais ligados a características motoras do movimento. Assim fica claramente evidenciado o valor dessas qualidades como fator de rendimento, principalmente nos esportes em que se exige um alto nível de coordenação e concentração.

3.1 HABILIDADE ESPECIAL - Capacidade de executar movimentos com alto grau de coordenação no decorrer de uma atividade esportiva.

3.2 DESTREZA - Consiste na capacidade de dominar movimentos complicados,aprender rapidamente novas técnicas e adaptar-se à situações variadas.tem grande importância para o domínio técnico e para aprendizagem motora. Capacita um desportista a dominar movimentos complicados, e a aprender movimentos novos num menor tempo. Possibilita um poder de adaptação, de orientação, de percepção espacial, de tempo de movimentos, capacidade de transferir movimentos, poder de equilíbrio, precisão, ritmo, etc.

Retirei daqui

Publicado em 17/07/13 e revisado em 12/03/19


Comente:

Nenhum comentário